IT Forum 365
data4good

Data4Good: a análise de dados pode ajudar a melhorar o mundo

Veja como a aplicação da ciência de dados para o bem social está ajudando a resolver questões humanitárias

É inquestionável que os dados têm o poder de transformar empresas e indústrias inteiras. Mas a pergunta que tem que ser feita é: “eles também podem ajudar a melhorar o mundo?” A resposta, se você duvida, é sim.

Desde o combate ao HIV e da proteção de espécies ameaçadas até a reconstrução após desastres naturais, organizações em todo o mundo estão aproveitando os dados para fazer a diferença e melhorar a humanidade. A aplicação da ciência de dados para o bem social levou a novas e criativas formas de abordar questões relacionadas à educação, pobreza, saúde, direitos humanos, meio ambiente e muito mais.

Para que você tenha uma ideia sobre como a combinação de dados, análises e suas aplicações no mundo real podem ter um impacto positivo e duradouro na melhoria das condições de vida de populações inteiras, mostramos a seguir os benefícios que a análise de dados pode gerar, bem como exemplos que podem servir de inspiração para ações semelhantes em outras comunidades ou setores.

Ciência de dados nos cuidados com a saúde

A CrescentCare foi fundada há 30 anos para fornecer serviços de saúde e apoio psicológico a milhares de pessoas afetadas pelo HIV, vírus que pode causar Aids. O centro de saúde usa a análise visual para entender melhor a comunidade portadora do vírus e os resultados para o tratamento de pacientes. Por meio de uma análise de dados profunda, a empresa melhorou as taxas de supressão de pacientes com HIV de 69% para 81%.

Quando falamos sobre gerenciamento e análise de dados, estamos falando sobre vidas humanas, promovendo hábitos saudáveis, tomando medidas preventivas e cuidando de pacientes e desfavorecidos. Eles não são apenas pontos de dados, são pessoas”, diz Seema Gai, diretor de informações da CrescentCare.

Ciência de dados para proteção dos animais

A organização de defesa do meio ambiente World Wildlife Fund (WWF) usa o gerenciamento de dados e análises para ajudar a maximizar as doações visando a construção de um futuro no qual as pessoas vivam em harmonia com a natureza. Por meio da modelagem avançada de dados, o WWF melhorou a receita de várias campanhas em 25% e, em um ano, aumentou sua receita líquida ao deixar de enviar 500 mil correspondências.

“Podemos levantar a mesma quantia de dinheiro com muito menos despesas. Isso significa que o WWF e seus membros estão ajudando mais eficientemente a proteger o planeta”, diz Mac Mirabile, diretor de análise estratégica e financeira do WWF.

A Sociedade Real para a Proteção de Aves (RSPB, na sigla em inglês) usa SAS para ajudar a proteger a vida selvagem. Através de análises, a RSPB pode entender melhor os dados coletados em um esforço para testar e desenvolver soluções de conservação que protejam as aves ameaçadas de extinção. A sociedade também usa seu big data para gerenciar 200 reservas naturais.

“Conservação informada por evidências é sempre mais provável que obtenha sucesso do que aquela baseada em adivinhação. O SAS nos permite produzir evidências científicas necessárias para implementar com confiança nossas iniciativas”, afirma Will Peach, chefe de pesquisas da RSPB.

Como agências governamentais estão aplicando a ciência de dados para o bem social

O Ministério do Desenvolvimento Social da Nova Zelândia colocou a análise de dados no centro do seu programa de reforma para o bem-estar social. A agência investe no apoio a jovens necessitados para construir um futuro melhor e transformou a maneira como direciona os investimentos em serviços para concentrar esforços naqueles que mais precisam. Isso se traduz em mais economia do dinheiro do contribuinte, bem como perspectivas melhores para as pessoas e suas famílias.

“Temos uma oportunidade de ouro no setor social para usar análises avançadas e transformar a vida dos neozelandeses”, diz Paula Bennett, ex-vice-primeira ministra da Nova Zelândia.

O Departamento de Saúde Comportamental do Condado de San Bernardino, na Califórnia, usa gerenciamento de dados e análises avançadas para analisar o engajamento do consumidor ao sistema de saúde comportamental para identificar barreiras ao tratamento, revelando um quadro menos estigmatizante do que muitos pensavam.

“O SAS nos deu mais credibilidade, porque agora os dados que estamos compartilhando são facilmente digeríveis, valiosos e relacionáveis. A oportunidade de usar dados na tomada de decisões para a saúde mental pública é infinita, e as análises levam você até lá”, diz Sara Eberhardt-Rios, diretora adjunta de serviços de apoio a programas do Departamento de Saúde Comportamental do condado de San Bernardino.

 Ciência de dados para ajudar na reconstrução pós-desastres

Quando dois terremotos destruíram residências de famílias nepalesas, a Organização Internacional para Migração (IOM, na sigla em inglês) usou a análise visual para ajudá-los a reconstrui-las mais rapidamente.

“Ao modernizar nossa abordagem de primeira resposta por meio de análises, conseguimos entender quais são as capacidades de produção e os inventários do país e trabalhar nessa equação muito complicada de identificar a melhor maneira de ajudar as pessoas, sem criar dependência”, afirma Brian Kelly, consultor da IOM.

Comentários

Notícias Relacionadas

IT Mídia S.A.

Copyright 2018 IT Mídia S.A. Todos os direitos reservados.