IT Forum 365
analyitics revoluciona setor de saúde

Como usar Analytics para criar valor nos cuidados com a saúde

Guia ensina como usar a análise de dados para descobrir insights ocultos nos data lakes das empresas de Healthcare

Hospitais e empresas do setor de saúde (Healthcare) coletam grandes quantidades de dados. Embora esses dados os permitam acompanhar os serviços médicos prestados e os custos relacionados, de modo geral eles fornecem pouca percepção da jornada do paciente através do sistema de assistência médica ou o impacto da assistência hospitalar em seus resultados, custo total e satisfação geral.

Empenhados na transformação digital, vários hospitais, clínicas, laboratórios de diagnósticos e imagem e operadoras de planos e seguros-saúde no mundo todo estão realizando grandes investimentos em ferramentas de Analytics para, a partir da coleta de dados, obter uma compreensão melhor do cenário, das tendências e aperfeiçoar os serviços de saúde.

As ferramentas de Analytics que integram interface de visualização de dados, permitem aos profissionais acesso a relatórios, resultantes da análise de uma variedade de elementos. Tais dados incluem informações sobre a duração da estadia do paciente, a taxa de encaminhamento para cuidados paliativos, o uso do home care, o impacto nas readmissões, e liberação de leitos destinados a cuidados intensivos, até dados sobre os prestadores de serviços de saúde.

“Em nenhuma outra indústria se vê hoje um potencial maior de usar Analytics para obter insights de seus lagos de dados (data lake) do que na de cuidados com a saúde”,  diz Mike McGuire, consultor de Analytics da unidade de negócios de saúde e ciências biológicas do SAS. Segundo ele, as ferramentas de Analytics ajudam os executivos do setor a atingir suas metas organizacionais e profissionais, a responder às reformulações da saúde, além de impulsionar melhorias nos processos e gerar valor ao negócio e ao paciente.

Analytics é um processo

Antes de iniciar a jornada para o Analytics, no entanto, a instituição de saúde precisa ter em mente a seguinte questão: “Quais são as principais considerações que o executivo precisa fazer para aplicar a análise de dados estrategicamente?”

Geralmente, para responder a perguntas gerais e específicas com base em fatos derivados de dados, é necessária uma gama de recursos. Um exemplo são questões relacionadas ao diabetes. Elas podem ser respondidas usando relatórios padrão, relatórios ad hoc, pesquisa detalhada, alertas, análise estatística, previsão, modelagem preditiva e otimização — cada um deles fornecendo níveis crescentes de profundidade e análises multifacetadas.

Para obter real valor do Analytics, toda empresa, seja ela de healthcare ou de qualquer outra indústria, tem de pensar a análise de dados como um processo. É importante ter em mente que as respostas para quaisquer perguntas exigem muito mais do apenas uma ferramenta.

Integrado como um processo de negócios contínuo, o Analytics pode transformar a organização em uma “entidade de aprendizagem ágil”. O processo analítico pode se tornar o mecanismo para permitir o aprendizado e insights de todos os ativos de dados — corporativos e externos. Pode ser a base sobre a qual empresas de cuidados com a saúde (healthcare), os seus pacientes e membros podem crescer, financeira e intelectualmente, de forma orgânica e inorgânica.

Nunca antes os serviços de healthcare tiveram que responder às mudanças tão rapidamente quanto hoje. Para acompanhar o ritmo da mudança, o processo analítico deve ser repetível e escalável. E, como qualquer outra estratégia organizacional projetada para fornecer resultados significativos, o Analytics exige um compromisso corporativo amplo e sustentado no longo prazo para alcançar o sucesso.

Pessoas, software e infraestrutura

A verdadeira promessa do Analytics na área da saúde é prever os resultados, fazer recomendações prescritivas e otimizar processos administrativos e clínicos. Com esses insights, as empresas de saúde podem obter melhores resultados e um futuro melhor. No entanto, existem barreiras ocultas para se chegar a esse futuro, e muitos desses obstáculos frequentemente deixam os executivos se perguntando: “Onde está o valor real?”

O processo analítico requer pessoas, software e infraestrutura, mas dentre esses três itens, as pessoas são as mais importantes. Uma boa regra é a que define que uma plataforma analítica deve ser composta 60% por pessoas, 20% por software e 20% por infraestrutura, quando os custos ocultos são incluídos.

Embora seja óbvio que as pessoas são o componente mais importante, geralmente as empresas subestimam esse aspecto. As pessoas realizam as buscas pelas informações usando seus conhecimentos sobre sua organização e seus dados, juntamente com os recursos de análise disponíveis, com objetivo de desenvolver uma visão valiosa.

Mas é preciso equilíbrio. À medida que as organizações planejam sua estratégia de análise, muitas vezes a infraestrutura é vista como uma commodity. Sem dúvida ela é menos importante do que as pessoas, e muitas vezes o seu custo crescente atrasa projetos e seu valor associado. Mas a infraestrutura precisa ser eficiente para rodar as soluções analíticas, garantindo aos usuários o acesso aos sistemas e os dados.

Desafios da implantação

Para criar valor substancial a partir de análises, é importante que os tomadores de decisão compreendam e acreditem que os insights foram desenvolvidos por meio de um processo de análise estruturado. Eles devem confiar nos insights para usá-los. O insight preditivo precisa estar disponível no momento certo, no formato certo e para a pessoa certa.

Para grandes decisões únicas, isso pode ser relativamente simples. O resultado analítico pode ser comunicado diretamente pelo analista aos executivos decisores. E estes, por sua vez, podem fazer perguntas para validar pessoalmente a previsão — para decidir se confiam nela o suficiente para usar como base no processo de tomada de decisão.

Hoje, organizações de todas as verticais estão usando Analytics para tomar decisões diárias e isso também deve ser replicado na área de healthcare. Na verdade, a implementação de qualquer estratégica corporativa geralmente exige decisões diárias em toda a organização para atingir o objetivo desejado. No caso de um hospital, por exemplo, o processo se aplica em diferentes situações:

  • Quando um médico está examinando um paciente;
  • Quando um representante do call center estiver falando com um usuário;
  • Quando uma sala de cirurgia está sendo programada;
  • Quando um paciente requer cuidados preventivos.

Portanto, é importante a organização prever a implantação automatizada de insights analíticos em sua estratégia para que possa fazer a diferença.

Plataformas combinadas

O Analytics depende também da interseção entre plataformas operacionais (por exemplo, o EMR-Electronic Medical Records, cadeia de fornecimento, sistema de gerenciamento de cuidados com a saúde, qualidade, etc.) e aplicativos de produtividade (Office, Excel, PowerPoint, etc.). Ele deve interoperar facilmente com as plataformas operacionais e de produtividade em todo o processo analítico, desde o gerenciamento de dados e a descoberta de insights até o monitoramento dos resultados.

Por fim, a estratégia de Analytics deve incluir uma plataforma de análise com capacidade de se expandir. Ela pode começar com recursos direcionados a determinadas situações e ter sua capacidade dimensionada e ampliada ao longo do tempo. Qualquer abordagem funcionará. A chave é implantar uma plataforma de análise totalmente capaz de atender às necessidades da empresa e que crie um amplo valor organizacional.

Comentários

Notícias Relacionadas

IT Mídia S.A.

Copyright 2018 IT Mídia S.A. Todos os direitos reservados.